A noite escura da alma

Luiz Fernando Areas
13/10/2017
Devocional

Jacó é um dos personagens mais improváveis das Escrituras. Uma vida que vale a pena ser estudada, repleta de dias marcados por enganos, crises, lutas, decepções, livramentos e alegrias.

Duas noites em sua vida marcam Jacó profundamente. Dois palcos da sua existência em que, fragilizado, ele se encontra com Deus. A primeira noite foi em Betel (casa de Deus), fugindo de Canaã; a segunda, em Peniel (face de Deus), retornando a Canaã. Este texto trata da noite de Betel. No próximo, falaremos sobre a noite de Peniel.

Depois de haver conspirado com a mãe para enganar o pai e o irmão, a fim de receber a bênção destinada ao filho mais velho, Jacó precisou fugir de casa, pois o irmão jurara matá-lo. Pela primeira vez na vida, ele não pode contar com a presença de sua mãe.

Eis o que acontece durante a viagem:

Nesse meio-tempo, Jacó partiu de Berseba e rumou para Harã. Quando o sol se pôs, chegou a um bom local para acampar e ali passou a noite. Encontrou uma pedra para descansar a cabeça e se deitou para dormir. Enquanto dormia, sonhou com uma escada que ia da terra ao céu e viu os anjos de Deus, que subiam e desciam pela escada.

No topo da escada estava o SENHOR, que lhe disse: “Eu sou o SENHOR, o Deus de seu avô, Abraão, e o Deus de seu pai, Isaque. A terra na qual você está deitado lhe pertence. Eu a darei a você e a seus descendentes... Além disso, estarei com você e o protegerei aonde quer que vá. Um dia, trarei você de volta a esta terra. Não o deixarei enquanto não tiver terminado de lhe dar tudo que prometi” (Gênesis 28.10-13,15 - NVT)

Esse lugar ficou sendo chamado Betel, casa de Deus. Graça pura. Deus aparece a ele e lhe promete bênção, terra e descendência, a mesma bênção prometida a seu avô, Abraão (Gênesis 12.1-3).

Fugiu, sonhou, recebeu promessas, foi abençoado. Tudo muito bonito. Porém, o texto pouco fala do estado de espírito do patriarca naquela noite. Mas quando chegamos ao capítulo 35, somos informados como aquele homem estava por dentro.

Décadas depois, Deus aparece a Jacó novamente e o chama de volta a Betel para ali construir um altar “para o Deus que lhe apareceu quando você estava fugindo de seu irmão, Esaú” (Gênesis 35.1). Para isso, ele convoca seus filhos com a seguinte instrução:

“Disse, pois, Jacó aos de sua casa e a todos os que estavam com ele: ‘Livrem-se dos deuses estrangeiros que estão entre vocês, purifiquem-se e troquem de roupa. Venham! Vamos subir a Betel, onde farei um altar ao Deus que me ouviu no dia da minha angústia e que tem estado comigo por onde tenho andado’”. (Gênesis 35.2,3 - NVI)

A noite de Betel foi dramática! Longe de casa, do pai, e, especialmente, da sua mãe, Jacó sentia-se absolutamente vulnerável e só, sem saber se, a qualquer momento, o irmão caçador seguiria o seu rastro até encontrá-lo. Sozinho e com a mochila cheia de medos e incertezas. Era um homem muito angustiado que tentava dormir naquele travesseiro de pedra.

Aquela noite foi marcada no calendário de Jacó “o dia da minha angústia”, tocante expressão que aparece em outros lugares da Bíblia (por exemplo, Salmo 50.15, 86.7).

Jacó vivia “a noite escura da alma”, expressão cunhada por João da Cruz (1542-1591). Ele se sentia só. Pensava estar sozinho na escuridão, mas não estava. Deus estava ali também, juntamente com seus anjos. A pior noite da sua vida se torna a noite mais gloriosa até então. Deus, se revela a ele. E o abençoa. E ali começa uma caminhada que dura a vida toda:

“...ao Deus que me ouviu no dia da minha angústia e que tem estado comigo por onde tenho andado...” (Gênesis 35.3)

“O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”. (Salmo 30.5).

“...na escura noite o meu coração me ensina...” (Salmo 16.7)

Podemos aprender com Jacó que, ao passarmos pela noite escura da alma, devemos nos lembrar: das promessas de Deus (Gn 28.13), e também da sua presença, proteção e provisão de Deus (Gn 28.15).

O cristão pode passar pela noite escura da alma sem temê-la. Jesus, o bom Pastor, o protege com sua vara e seu cajado. Na cruz, ele enfrentou a mais tenebrosa de todas as noites, para que sua vida nos iluminasse no vale mais escuro.

Se a noite escura da alma aparecer no seu calendário, você deve confiar nele. Ele sabe muito bem o que é passar por isso.